17 de abril de 2009

Saudade

Bebendo saudade, vou cravando cada gota em mim, bem fundo, calando as memórias que sei serem impossíveis de voltar. Se a vida fosse como uma taça, sorvia gota a gota o conteúdo da mesma, vertendo as coisas más e bebendo apenas as boas, mas infelizmente não pode ser assim. Temos de beber as coisas boas e más, calar as saudades e angústias, devorar as coisas boas e que nos dão paz, pois só assim sentimos que vivemos a efemeridade que é a vida. Há vezes em que engolimos só de um trago uma coisa, depois arrependemo-nos, pois deviamos ter ido com calma e bebido aos poucos, para durar mais, mas não, somos sedentos e vivemos logo tudo ao extremo e depois o que fica? Um vazio, um sentimento de culpa e de egoísmo, quando olhamos para nós próprios e pensamos “Devia ter ido com mais calma e vivido cada momento devagar, aproveitando cada dia de forma pacífica e não da forma mais apressada possível”. Há vezes em que se demora uma eternidade a engolir, tanto tempo que o conteúdo da taça perde a força e o sentido de existir e aí pensamos “Devia ter sido mais rápido e tomado mais atenção ao que me era oferecido, em vez de me ter acomodado e pensado que tinha tempo para beber tudo devagar”. Depois arrependemo-nos quando já é tarde demais e vemos que não podemos voltar atrás, bebendo da forma correcta aquilo que nos tinha sido proporcionado. Um mar de lágrimas também se bebe, com o seu gosto salgado e particular, difícil de definir, mas que nos sabe bem pois é nosso e, mal ou bem, parece que nos lava a alma nalgumas ocasiões. E ainda bem que assim é, pois renova as células que há em nós, clarifica a nossa visão das coisas e dá-nos uma força que julgavamos ter perdido por entre os escombros, após tudo ruir à nossa volta e ficarmos só nós, ali sozinhos a observar tudo e sem poder fazer nada. A chave está em nos levantarmos, erguermos a cabeça e afastarmos os destroços que estão por cima de nós, irmos à luta e não desistir por nada, por mais complicado que seja aguentarmos em pé e termos a sensação que o mundo está todo contra nós.

6 comentários:

moopoint disse...

Catarina Carmen já tens uma lista interminavel de blogues mulher, já te disse o que achava do texto :) gostei mesmo muito, não deixes de escrever, quando te faltar a inspiração de que precisas, procura-a nas coisas mais simples.. sabes que voltas sempre a encontra-la :)***

Anónimo disse...

Cat, gostei bastante. Aliás, já tinha lido outros textos teus e gosto sempre muito. Tens jeito pra coisa rapariga, não deixes de escrever! ****

Bárbara disse...

Adorei este texto, tocou-me de uma maneira que nem podes imaginar! Sei o que sentes...e tens toda a razão naquilos que dizes... como somos burros tentando viver tudo ao mesmo tempo e procurando uma perfeição que não existe, pelo menos não da maneira que às vezes queremos... Muitas vezes é mesmo nas coisas simples que está a pouca perfeição da nossa vida!
Ainda bem que te tenho e ainda bem que partilhas os teus textos comigo =D adoro-te!

Anónimo disse...

olá morzão =),
bem já tinha saudades de ler coisas tuas (tenho td o que me mandas-te guardado), escreves mm como eu gosto.
o que aqui dizes é uma grande verdade, mas é uma pena n sabermos quando devemos aproveitar td ao limite ou mais devagar.
Olha que tal fingires que és um colunista? assim podias postar todos os dias, ou num dia a tua escolha, assim as tuas leitoras tavam ca todas a espera de algo bom e intressante pa ler... va la dizque n é uma boa ideia?

beijao intenso amo-te <3 Sofia

p.s. escreve mais que fico a espera @>-,-

Deluxia disse...

deep... trully deep... gostei muito! =)
agora faz-me um lista dos teus blogs todos sff =p

by the way, a saudade é só a maior prova de que existem sentimentos ;) e tu soubeste mostrá-los em palavras!

beijinho **

PS - vê se marcas um café ;) o Dom já tem saudades!

Anónimo disse...

Então minha! lol

Bom, não estou muito inspirada para comentários lol mas mesmo assim quero te dizer que gostei muito do texto até porque me identifico bastante com ele, principalmente neste momento da minha vida (saudade, culpa e arrependimento argh!!)

Obrigada por continuares a escrever e a mostrar os teus textos maravilhosos!

Beijos

Eunice C.