23 de julho de 2009

Alright

Fintava a noite com passos largos, imune ao frio e ao vento, como se nada lhe pudesse tocar. A verdade é que ela não sentia nada físico, só a música que lhe entrava pela mente dentro. Com phones postos, parecia surda face ao exterior, às vozes que teimavam em falar com ela sem perceberem que ela não queria ouvir. Ignorava e continuava a andar cada vez mais rápido, com os cabelos esvoaçantes e olhos fixos no horizonte, sorrindo de forma alucinante, desafiando o destino.

A sua mente estava longe e do nada o objecto tecnológico vibrou no seu bolso e tinha uma mensagem que dizia “Onde estás?”, ao que ela respondeu “Longe, bem longe...”. A pessoa que enviou a mensagem respondeu “Leva-me contigo!”.

Mudou a rota, voltando para trás e apenas respondendo “Vou-te buscar e vamos fugir do mundo por momentos. Quanto mais longe melhor...”.

(...)

De mãos dadas, encaravam a noite fria em silêncio, apenas sentindo calor e aconchego devido à união das suas mãos. Ambas ausentes do mundo, mas presentes nas suas mentes invadidas de liberdade, pensamentos e música.

A calma de um jardim e o contacto dos seus corpos com a relva molhada fez parar o silêncio e fechou o momento com um abraço longo e apertado, libertando-as de si mesmas e fazendo-as sentir algo físico, que até então não conseguiam, pois havia toques que magoavam quando incidiam na pele directamente.

A dor cessou em parte e foram inundadas por uma paz e sensação de alívio, pelo menos naquele lugar e tempo, onde o mundo parara e elas eram livres e reais.

2 comentários:

moopoint disse...

cheirar relva molhada de manhã, andar por lá descalça, sentir o cheiro a eucalipto era tudo o que pedia agora.. podia até ser sozinha mas ia-me saber tão bem :) **




PS: adoro a verificação e palavras do blog -.-

Someone, No One disse...

Essa musica *.* apareceu-me na altura indicada da minha vida. Assim já h uns bons anitos atras, mas ainda hj me faz bem ouvi-la.


"A dor cessou em parte e foram inundadas por uma paz..."

era bom era...

*******